sábado, 20 de setembro de 2014

Começo



Sem saber como

Nem o porquê,

Com a maresia a enlaçar,

Devagar, devagarinho,

Aqui viemos parar!


Com muitos sonhos para completar

E muita força para combater,

Certamente iremos vencer

Esta vida que está a chegar.


Beleza

Firmeza

E com surpresa,

Completas-me nos dias que passamos.

Alegria

Magia

E com mestria,

Envolves-nos nos sonhos que traçamos.


Tua…

Antes, agora e para sempre.

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Superlativo fantasioso

Olho...
Olho-te...
Sem cansar, sem parar...
Numa espiral sem fim...
Sem uma luz ao fundo do túnel.
Sorrio e olho-te...
Aperto-te, sentindo-te...
Cheiro-te...
Hummm
O teu cheiro...
Até no escuro te vejo,
Te sinto...
Abraço-te...
Abraça-me...
Sente... sinto o teu ar...
Quente... tranquilo...
Desperta-me com um sorriso...
Olha-me e sente-me.
Escuta... escuta o silêncio!
Escuta o que ele grita!
Escuta o que ele ouve!
Recebe o que ele te dá!
Volta-te...
E caminha...
Eu estou aqui!
Sempre aqui...
Brilho resplandecente,
Que tortura deliciosamente o olhar!
Mergulha... Mergulhamos...
Emerge em mim e eu em ti!
Dá-me a mão e eu caminharei,
Protegendo...
Protegendo-nos!
Até.... hummm até...
Ao fim de um sorriso.
Nosso sorriso...


sábado, 17 de dezembro de 2011

Confusão



Acordo com o mar salgado
Que molha os meus pés
Num vai vem incansável
Pedindo para contemplar o sol
Que trespassa a minha alma
Aquecendo-a...
Relembro os nossos momentos
Saudosos e persistentes
Nesta memória descontínua.
Estás ali ao lado
Contemplando o mesmo sol que eu.
Serás real ou uma simples projecção
Que a minha memória
Ternamente me constrói?
Agarro a tua mão com força
Fazendo-te replicar de dor
De tão real que afinal és!
Desperta então um sorriso inesperado
Que me completa de uma tal forma
Que jamais havia sentido!
Sinto-me única
Flutuando neste espaço só nosso
Construído pelos nossos desejos
E de juras de amor perdido...
Estranhamente sinto o fresco dos lençóis,
No meio daquela areia amarela
E da espuma do mar que me cerca...
Sinto o macio do colchão,
Mesmo naquela textura granulada
Que escapa entre os dedos
Enquanto a tendo agarrar
Para não sair dali.
Em vão.
Sinto o meu corpo a ser sugado pelo tempo.
Rapidamente o mar torna-se escuro,
Estático, opaco e desaparece!
A areia compacta-se num tecido fino
Que envolve o meu corpo paralisado!
O sol torna-se vermelho e divide-se
Tomando a forma de números num visor!
Deixo de sentir a tua mão agarrada à minha...
Deixo de sentir o teu abraço...
E ali permaneço eu,
Sozinha neste quarto escuro
Com o relógio marcando a madrugada
E uma almofada vazia a meu lado...

Uma Prenda de Natal
















A vida é como um puzzle...
Às vezes é simples
Outras é complicada,
Muitas vezes é efémera
Outras permanece no tempo.
Trespassada por vezes
Por pessoas que achamos ser as certas
Mas que de alguma forma
Teimam em não encaixar em nós!
Às vezes sombria e misteriosa
Outras colorida e brilhante,
Mas sempre feita de pequenos pedaços
Que juntos farão sentido no todo
Que só será revelado
Quando a última peça for colocada.

Eu,
Como as estrelas,
Brilho eternamente para vós!
Por vezes distante ou ausente,
Por vezes brilhando num certo tom
Imperceptível aos vossos olhos,
Por vezes rodeada de escuras nuvens
Que escondem o meu cintilar.
Mas...
Mesmo ausente ou distante
Continuarei lá no alto a brilhar.
Sem parar...
Sem cansar...
Mesmo quando me afasto no dia
Pois de noite voltarei para vos ver...
Nunca deixarei de existir mesmo na ausência
Continuarei brilhando...
Para sempre...
No vosso Universo...
Onde quer que me encontre...

sábado, 19 de novembro de 2011

Pinturas


Vendo o mundo a branco e preto
Cheio de contrastes destoados
Pelo vento frenético que remexe
Em todos os pensamentos
Que teimam em emergir.
Sinto uma enorme vontade
De pegar calmamente o pincel esquecido
E sair pela rua colorindo tudo...
Tudo o que me toca...
Tudo o que me envolve...
Tudo o que por momentaneamente
Me deixe um sorriso nos lábios...
Gostava de te colorir...
Pintar-te suavemente com tons pastel
Com uma ou outra pitada de cor quente,
Picante ou deliciosa,
E tornar-te na minha peça principal,
Aquela que perdurará no tempo,
E terá um valor incalculável.
Desenhar-te todos os contornos
Com uma tal perfeição
Que destronaria Rafael ou Ingres.
Serias a minha obra-prima
Exposta na minha galeria privada
Para que apenas eu te pudesse contemplar!
Sairei por aí pintando...
Espero encontrar-te ao virar da esquina...

domingo, 13 de novembro de 2011

Tempo Incerto


O mundo faz barulho lá fora...
Chora a tua ausência desalmadamente.
Reclama furiosamente a tua presença,
E tenta a todo o custo empurrar-te para mim...
Ou a raptar-te para mim...
Entre raios e trovões te desejo comigo,
Lado a lado aconchegados,
Presos por sentimentos confusos,
Misteriosos e fugidios.
Perco-me nas incertezas de tudo
E as certezas do nada que nos cerca.
É, não é, poderá ser ou não ser,
Será algo ou não, terminará ou durará...
Confuso, trémulo, irrequieto.
Não sei sentir o que sinto,
E gostava de sentir aquilo que...
Provavelmente me é negado.

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Dream

Hoje os sonhos...
Voltaram a revolver o meu interior.
Mais uma vez te apresentaste,
E deixaste um carinho sorridente
Como um bom dia ao levantar
Para me deixar na lembrança
Que hoje é o teu dia.
Hoje é o teu dia...
Hoje era o teu dia...
Hoje é um dia de saudade
De memórias e sensações.
Hoje é um dia de olhos brilhantes
De água salgada que te recorda.
É dia de recordar-te,
De recordar tudo o que passou.
De recordar tudo o que aconteceu
De imaginar tudo o que ficou por dizer.
É dia também para sorrir,
Por teres passado na minha vida,
Por me teres feito sorrir,
Por me teres feito feliz,
Ainda que momentaneamente.
A vida é feita de pequenos momentos.
E sem dúvida alguma...
Foste um pequeno grande momento
Daqueles que jamais se esquecem
Daqueles que nos fazem sorrir e chorar,
Daqueles que nos alimentam
E nos fazem acreditar.

Moby diz:
"One of these mornings
Won't be very long
You will look for me
And I´ll be gone"

Foi isso que aconteceu...

Parabéns N.

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Dor Vazia














Dor pontiaguda
Espinhosa e magnética,
Dor que se entranha
E corrói os meus órgãos,
Dissolve a minha alma.
Vazio profundo
Deixado por esse parasita.
Peso imundo que aparece
E suga toda a inexistência
Que embate em mim
E me prega ao chão.
“Rasteja…”
Diz a voz dentro de mim…
Arrasto-me na lama
Sem existir uma luz
Que me ofereça a mão
E me tire deste leito
Que me deixa inerte.
Grito até a voz desaparecer,
Até me desvanecer no ar,
Até encontrar a serenidade.
Flutuando invisível
Aos olhos dos demais,
Ondulo ao sabor do vento
Que espalha pedaços de mim
No mar, nos bosques, no sol…
Sorrindo então,
E deixando um sorriso
Como uma última vontade
Gravada no testamento da verdade.
Plenitude e paz atingidas.
Assim espero.

domingo, 17 de julho de 2011

All I Need

Olha-me e sorri…
Pára nesse momento especial…
Pára o tic tac desenfreado do relógio…
Olha-me e sorri apenas…
Deixa-me guardar na memória esse instante,
Congelá-lo nas minhas recordações
Para ir saciando os meus dias ausentes!
Sorri e abraça-me…
Deixa-me sentir-te em mim…
Deixa-me cheirar a tua presença…
Sorri e abraça-me apenas…
Num aperto suficientemente apertado,
Que aqueça e perdure na minha alma
Durante os longos dias de Inverno!
Abraça-me e leva-me…
Perde-te no mundo e no tempo…
Encontra-me perdida no espaço…
Abraça-me e leva-me apenas…
Não digas uma palavra sequer,
Nem ofereças alguma bela flor
Que estragaria a beleza intemporal,
Daquele momento efémero
Em que estaríamos apenas
A contemplar o sorriso um do outro.


quarta-feira, 18 de maio de 2011

Desejo ardente

Quero sentir o teu abraço
Suave, frio...
Quero sentir-te em todo o meu corpo
Ondulado, inquieto...
Sentir a tua força a puxar-me,
A reclamar-me para ti.
Quero ser presa com tuas algemas
E jogada para o fundo...
Para depressa me agarrares
E devolveres o ar que roubaste
Num doce beijo apaixonado!
Deita-te à minha beira e,
Rebola comigo nesse chão macio.
Vai e vem sem fim à vista...
Toca em mim como se fosse única
E como se fosses apenas meu!
Sacia-me esta saudade
Que queima na minha pele
E atrai incansavelmente a tua força.
Quero estar contigo...
Dia após dia.
Sentir-te ao meu lado,
Num longo abraço...
Preciso de ti!